História
16100
page-template-default,page,page-id-16100,bridge-core-1.0.6,ajax_leftright,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-18.2,qode-theme-bridge,disabled_footer_bottom,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.0.5,vc_responsive

A HISTÓRIA DO INSTITUTO CASA VIVA

A Vila João Lopes está localizada em frente à IGREJA BATISTA BETÂNIA. É uma comunidade carente com cerca de 990 famílias, marcada pela ação do tráfico e com pouca assistência do governo. Como é comum em comunidades carentes, a realidade social que se observa no local, em termos gerais, é de pobreza, falta de infraestrutura básica, falta de saneamento básico, presença de crianças e adolescentes em atividades ilícitas e ligadas ao tráfico de drogas, grande incidência de adolescentes grávidas, ausência da figura paterna em muitas famílias. Esta foi a’ base de uma ação transformadora movida pela igreja.

Em setembro de 2006 a Igreja, liderada pelo pastor Neil Teixeira Barreto, desenvolveu o primeiro FÓRUM DE CONSCIENTIZAÇÃO SOCIAL, com o tema: “Transformação Além da Visão: pelo fim da Negligência Social da Igreja”.   O fórum, contou com a participação de líderes e autoridades, tendo como foco principal, rever o papel social da Igreja como instituição.

O FOCO trouxe à tona a ênfase nas características da espiritualidade protestante e a motivação para a realização de práticas sociais, e posteriormente, ambientais. A Igreja compreendeu que seu papel estava muito além da pregação religiosa e partiu para o conceito de MISSÃO INTEGRAL – responsabilidade para com as necessidades espirituais, mas, também, sociais, emocionais e físicas do ser humano.

Uma primeira medida prática foi o que denominamos MARCO ZERO, onde um grupo de voluntários se mobilizou para uma inserção na Comunidade para uma pesquisa de conhecimento das necessidades e anseios.

As atividades e esportes oferecidos pela igreja, tais como festas e aulas de artes marciais, que representam a maior parte do lazer a que a maioria das crianças, jovens e adolescentes da comunidade tinha acesso. No Natal e Dia das Crianças, a igreja mantém a tradição de realizar uma grande festa dentro da Comunidade e distribuir bons presentes para todas as crianças, muitas das quais só têm essa oportunidade de serem presenteadas.

Este primeiro passo e seus resultados foram o que impulsionaram a criação de uma instituição sem fins lucrativos, específica para desenvolver ações sociais em prol do desenvolvimento pessoal, familiar e comunitário. Esta organização foi totalmente financiada pelos recursos da igreja, e de serviços voluntários dos seus membros.

Um imóvel que já era de propriedade da igreja foi disponibilizado para ser o local físico da nova instituição, fora do ambiente eclesiástico, posteriormente denominado CENTRO DE CIDADANIA E ATIVIDADES SOCIAIS – CCAS.

Em 22 de Junho de 2009, foi inaugurada a sede do CCAS, sob a gestão e presidência da pastora Davina Cardoso Castro. O SEBRAE foi a primeira instituição particular que acreditou na proposta da instituição e colaborou com instrutores, materiais didáticos e consultorias.

Foi realizado o Seminário de Empreendedorismo Social. Uma nova pesquisa foi realizada, já diante as instalações físicas do CCAS, onde podemos vislumbrar as várias possibilidades de ações para alcançar a comunidade e suas reais necessidades.

A comunidade teve acesso a programas de inclusão sociais totalmente gratuitos, e de forma progressiva, obtendo as ferramentas para se desenvolver de forma sustentável. Como base estrutural, foi criado o programa norteador das ações: PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO E FORTALECIMENTO FAMILIAR E COMUNITÁRIO.

O PROJETO TOM DA VILA, foi o primeiro a ser desenvolvido, um projeto de aula de música, violão, canto, flauta e teclado para crianças, adolescentes e idosos.  No mesmo período, iniciou-se o segundo PROJETO REMIR – Restaurando Emoções, Ideais e Rumos, para idosos a partir de 60 anos.
O terceiro projeto também veio em seguida, denominado PROJETO CRAQUES NA VIDA – projeto de esportes de futsal, para crianças e adolescentes de 4 a 17 anos.

O PROJETO DE ALIMENTAÇÃO BÁSICA, onde famílias de extrema pobreza e com filhos menores, são atendidos por uma equipe de voluntários multiprofissionais, com acompanhamento de 8 meses a 1 ano com doação de cesta básica mensal, inserção ou reinserção ao mercado de trabalho,  incluindo educação comunitária, saúde familiar e acesso a direitos sociais.

Algumas atividades foram desenvolvidas de forma pontual como a parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social através do PROJOVEM, SENAC, SENAI e SESI. Partindo desses projetos iniciais, verificamos vários aspectos que poderíamos desenvolver para a melhoria da qualidade de vida desses indivíduos.

Outros projetos surgiram das carências detectadas nos atendimentos e contato direto com as crianças, como: BRINCADEIRA É COISA SÉRIA – crianças com déficit de atenção; BELEZA NA VILA – cabeleireiro, design de sobrancelhas, depilação e manicure. Beleza na vila capacita e profissionaliza as mães, que melhoram a renda familiar.

O Curso de barbeiro para homens, que surgiu três anos após o inicio dos outros projetos, surgiu da necessidade de trazermos os homens, pais, para um ambiente educativo e elucidativo, também como uma forma de capacitação e desenvolvimento.

Em outubro de 2014, a presidência e gestão interina do Centro de Cidadania e Atividades Sociais foram assumidas pelo pastor Lindoval Teixeira Duarte. Um conselho consultivo, convidado pelo pastor Neil, foi formado para dar uma continuidade às ações sociais que vinham sendo desenvolvidas. Um novo nome e logomarca foram sugeridos e aprovados: CCAS passou a ser o Instituto Casa Viva, com uma logo moderna e acolhedora, expressando melhor o resumo e slogan da nossa missão: Promovendo a Dignidade! Ficando mais elucidado que nossas ações passam por cinco pilares: Acolher, Atender, Suprir, Capacitar e Desenvolver.

As atividades sociais, que foram surgindo a partir das demandas sociais, agora estão sendo escritos como projetos sociais, permitindo uma maior organização e captação de recursos, que até então, ainda advindo exclusivamente da igreja.

Ações importantes da igreja, como o Projeto Criança Feliz, Academia Betânia de Artes Maciais e Facilitando, que trabalha a inclusão dos portadores de deficiência, estão sendo acolhidos ao trabalho e missão do Instituto. O Projeto Esperança, que atende pessoas e famílias com dependência química, também foi integrado ao Instituto, pois o estatuto já preconiza esse atendimento.

O Instituto Ekloos, tornou-se nosso parceiro, e estamos implantando seu software de gestão chamado: PORTAL ONG FÁCIL. Isso nos proporciona mais clareza, precisão das informações de relatórios financeiros e administrativos.

Com a ajuda de voluntários na captação de recursos, o número de patrocinadores pessoas físicas, que chamamos de padrinhos, triplicou. Outros parceiros importantes estão nos apoiando: Fundação Piraquê, Parque Shopping Sulacap, Ideia Marketing, Colégio Gálatas, Óticas Shalon, Copy Speed, Carioca Rio Decor.

Recursos humanos também estão sendo disponibilizados, em 2016, teremos mais dois voluntários no atendimento jurídico, abrangendo as áreas de maior vulnerabilidade das famílias. Uma nova casa será inaugurada dentro da Vila João Lopes, que atenderá a dois projetos: CRIANÇA FELIZ e CASA VIVA KIDS, que atenderá as adolescentes grávidas e crianças de 0 a 6 anos.

Fale Conosco